“Malgrado inquietações próprias dos périplos havidos, a pena terá valido quando coração e mente tiverem vivido em equilíbrio” Pe. Airton Freire

Eu não saberia viver meu céu

Se não tivesse passado por tempestades

Não viveria a mágica cotidiana da felicidade

Se não tivesse sentido as “dores do mundo”… dores minhas, dores de outrem

Eu não compreenderia o significado da Cruz

Se não reconhecesse Jesus em minha vida

Não saberia o que é amar

Sem a dor e a coragem de ser vulnerável

Eu não conseguiria respirar a paz do perdão

Se não tivesse vivido momentos de angústia

Não teria fortalecido minha fé

Sem ter passado por longos desertos

Eu não entenderia o sentido de uma vida plena

Se não tivesse conhecido as “dores do mundo”

Dores minhas, dores de outrem

A dor fere, mas ilumina…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *